Lord - Behind The Curtain of Darkness
×
Lord - Behind The Curtain of Darkness
Lord - Behind The Curtain of Darkness
R$ 40,00
Lord - Behind The Curtain of Darkness

Edição nacional 2021
Formato Caixa acrílica + Slipcase com Baixo Relevo Prateado.
Limitado a 300 Cópias.

Tracklist
1 Intro
2 Live To Fight, Fight To Die
3 Into Hell's Well
4 Midnight In The Graveyard
5 When Funeral Pyres Ablaze The Black Moon Sky
6 Under The Spell Of The Diabolical Sorcerer
7 Shadows Of Massacre
8 Calling From The Deepest Darkness
9 Gates To The Blazing Kingdom


Para fãs de Absu, Melechesh, Deströyer 666, Zemial, Inquisition, Bathory, Nocturnal Graves, Nifelheim, uada, cradle of filth, dimmu borgir, behemoth


Banda "Lord" e o álbum "Behind The Curtain Of Darkness" de 1998.

Da França, mais precisamente de Hazebrouck, a Lord foi fundada por "Lord Charon" em meados de 1995 e após a Demo de mesmo nome, estrearam em 1998 com o lançamento do álbum "Behind The Curtain Of Darkness". Com a formação composta por Lord Charon (Damien Lempiere) no baixo e vocal, Condessa Hoggsogoth (Catherine Lempiere) nos teclados e completam o Lineup, Aragorn nas guitarras e Tiphereth na bateria.

Literalmente atrás das cortinas da escuridão e sob fortes similaridades em uma mistura de Dimmu Borgir, Ancient e Cradle Of Filth, no melhor oferecido pelo estilo Black Metal Sinfônico, o álbum começa com a clássica "Introdução Instrumental" banhada de elementos clássicos dos teclados sombrios primordiais do gênero e marcados por tambores de guerra, cavalgadas de cavalarias, em uma atmosfera crua, medieval e envolvente por quase 4 minutos...

Seguindo com "Live To Fight, Fight To Die", um verdadeiro chamado por viver para lutar, lutar para morrer, guitarras e bateria cadenciadas com acordes firmes que remetem às bandas precursoras do estilo, o black metal cru e orgânico do Lord encarna vocais rasgados por gritos de raiva e agonia conclamando, "Batalhas sem fim, nós damos nosso sangue. Nós, guerreiros sagrados, lutamos por nossas terras, mas queremos mais. Queremos conquistar o mundo."

"Into Hell's Well" traz o desespero e sofrimento na voz aterrorizante de Lord Charon em uma temática satanista com a mensagem "Se você cair no poço do inferno, milhares de anjos caídos, os servos de Lúcifer beberão seu sangue, comerão sua carne e oferecerão sua alma a seu mestre, o portador da luz". Destaque para os riffs agressivos que remetem o melhor das fases trasher do Bathory junto à atmosfera sombria reforçada pelos teclados de Hoggsogoth.

"Midnight In The Graveyard" e suas batidas de sinos seguidas pelos teclados em sinfonia de Catherine Lempiere, baterias aceleradas alternando para uma melodia arrastada e bumbos duplos marcantes... "Meia-noite no Cemitério", traz letras sombrias sobre túmulos, o silêncio profundo e sussurros do anjo da morte e da Dama Negra, a Rainha do Inferno levando a alma e velas negras ao redor do túmulo, uma verdadeira súplica pela morte, características marcantes da Condessa Hoggsogoth e suas composições.

Em "When Funeral Pyres Ablaze The Black Moon Sky" os teclados de Catherine Lempiere destacam-se novamente, nos envolve na melodia até que Lord Charon estabelece seu pacto com Satanás quando "piras funerárias incendeiam o céu da lua negra!" Sacrifício de crianças, cálices com sangue, hordas de bárbaros selam o pacto nesta canção sombria e repleta de gritos de horror em um juramento para o inferno.

"Under The Spell Of The Diabolical Sorcerer", música forte de atmosfera sombria que logo evolui para riffs marcados pelos refrões agonizantes de Lord Charon... "Pelos mistérios da morte, pela luz de Lúcifer eu te conjuro, Espírito do Inferno, para se levantar Pelas agonias dos condenados, eu te conjuro a responder..."

"Shadows Of Massacre", aqui, o clima semelhante às melhores melodias Mercyful Fate são interrompidas pelo chamado e conclamação à "glória à guerra, glória ao guerreiro imortal" em vocais que soam ásperos e demoníacos, riffs acelerados onde a música é infernal e atmosférica, "Shadows" mantém o nível e dinâmica do álbum honrando os pilares do Black Metal Sinfônico e preparam com delicadeza e calma as últimas faixas ainda por vir, emitindo um ar de escuridão e mística envolvente.

Nas sequência, Condessa Hoggsogoth apresenta em "Calling From The Deepest Darkness" um verdadeiros chamado em uma sensação de tranquilidade e atmosfera negra que relaxa enquanto ainda transmite melancolia por seus teclados e efeitos de tempestade interrompidos por riffs cadenciados e vocais rasgados de Charon dizendo: "Sob a tempestade, sob a iluminação, o lobo branco está rugindo até a morte, guiado pela luxúria e sangue, Ele está vagando pela montanha negra, procurando por um sacrifício sangrento"... Chamado das Trevas Profundas é uma atmosfera de quase como se afogar na escuridão eterna.

Por fim, "Gates To The Blazing Kingdom", literalmente abre os "Portões para o Reino em Chamas"... Com vocais soando mais ásperos e demoníacos, música infernal e atmosférica, riffs e melodias com dinamismo e a escuridão que elas precisam... "Toque-me três vezes com sua varinha mágica. Eu vou te contar a história, meu senhor: Aquela sobre o apocalipse... Chega de sol, chega de sonhos. Apenas terras escuras, desertas e frias. As estrelas vão morrer, a lua vai virar geada. O mal prevalecerá, com dor e sofrimento eterno...". Vemos aqui, a conclusão de um pacto, selado música por música em referência e verdadeira homenagem ao sombrio, densa e majestosamente banhado de atmosférica e de forte vibração medieval.

O álbum "Behind The Curtain Of Darkness" é uma obra que transcende o tempo... Com sua atmosfera sombria e inspiração no oculto, remete fielmente ao melhor do Black Metal Old School... Satanismo, Morte, Misantropia, Ocultismo, impulsionado por riffs perversos e penosos que fomentam uma tempestade sinistra e arrepiante dos mais diversos sentimentos agonizantes mas ao mesmo tempo, majestoso e bonito.

A lenda de Charon, o barqueiro do Inferno, explica bem de onde o baixista e vocalista Damien Lempiere recebeu seu apelido. Catherine Lempiere, a Condessa Hoggsogoth em sua performance impecável nos teclados, que também é responsável por quase todas as letras e grande parte das músicas fazem da Lord uma banda subestimada e que, nos tempos atuais facilmente configurariam entre os grandes do gênero.

Resenha a cargo do amigo Wanderson @fallenin77
https://www.instagram.com/fallenin77



■ CD SLIPCASE com acabamento em alto luxo fosco e Hot Stamp Prata (baixo relevo).

■ Limitado a 300 cópias.